Menos Chupeta, por favor!

Menos Chupeta, por favor!

Se os bebês pequenos pudessem falar, com certeza, diriam a suas mamães: “Mãe, menos chupeta e mais paciência, compreensão e atenção comigo, por favor. ”

Não são poucas as vezes que nos cansamos, enquanto mães de recém-nascidos. Aí, ao menor sinal de choro ou descontentamento de nossos bebês, logo utilizamos um “instrumento mágico” que “tapa-o-choro”: a chupeta.

Ok. Mas vamos pensar juntas. O choro é a única forma de comunicação de nossos bebês, especialmente nos primeiros meses de vida, quando ele está vivendo seu período de adaptação extra útero. Portanto, o choramingar pode ter diversas causas. Vamos ver algumas:

Cansaço – na vida extra útero tudo é 100% diferente – da gravidade atmosférica, às necessidades básicas do bebê.

Excesso de estimulação – leve em conta a perspectiva de quem esteve por 9 meses sozinho e tranquilo no útero.

Ruído desconfortável – antes, seus ouvidos sensíveis tinham uma “orquestra orgânica” como companhia.

Luz forte – para olhos que ficaram 9 meses vivendo na penumbra.

Medo – para quem viver significava até então estar acompanhado 24 horas por dia.

Fralda suja

Dor – as famosas cólicas.

Fome – a mais lembrada, mas nem sempre a causa real do choro!

É por isso que muitas vezes o bebê cospe a chupeta. Ele não quer aquele “picolé de plástico, mas sim que a causa do seu desconforto seja resolvida através da atenção e ação adequada do cuidador. Por outro lado, a chupeta também é usada para tentar acalmar o desespero materno, frente ao cansaço e à frustação. Muitas e muitas famílias são até aconselhadas a ensinar o bebê a gostar do “seio de plástico” com a ajuda de um medicamento “mágico” na ponta da chupeta. Para mim, essa prática é um crime contra a saúde do bebê. Saibam que esse tal medicamento nada mais é do que açúcar com 0,000015 % de funcho. Ou seja, estamos ensinando nossos filhos a utilizar o açúcar como forma de se auto tranquilizar. Um hábito nada saudável para seu filho! Com certeza não é por mera coincidência que há cada vez mais crianças e adultos obesos!

 

Desvantagens do uso da chupeta

-Todas as marcas e estilos, ortodônticos ou não, podem alterar a arcada dentária.

-Todas as marcas e estilos podem alterar a musculatura da face e até os ossos.

-Todas as marcas e estilos podem alterar a língua e atrapalhar a fala.

-Todas as marcas e estilos podem causar aumento de verminoses.

-Todas as marcas e estilos causam desmame precoce (atrapalham a amamentação).

-Todas as marcas e estilos causam problemas e dificuldades na hora de abandonar o vício da chupeta.

 

Não caiam na pressão da chupeta

Resistam bravamente aos questionamentos, sugestões e induções dos parentes e amigos. Você e seu parceiro é que devem decidir o que é melhor para seu filho. É possível ter bebês e cuidar deles sem enlouquecer e sem utilizar a chupeta, especialmente se você amamenta. Eu não sou melhor do que você e consegui cuidar de minhas duas filhas sem nunca ter oferecido uma chupeta a elas.

Lembre-se: a chupeta não é um acessório como um babador ou um par de brincos. Esse “picolé de plástico” traz consequências a médio e longo prazo. Faça o exercício de se colocar no lugar do bebê e você, cada vez mais, conseguirá suprir suas reais necessidades.

 

Um texto para refletir…

Quando olhamos o bebê e nos colocamos no lugar dele, procurando entender o momento de transição entre útero e mundo, então perceberemos que o que ele menos precisa é uma chupeta e o que mais precisa é ser conduzido com longanimidade nesse mundo tão desconhecido. E a voz do bebê clama dizendo: “Não sou daqui, cheguei agora, não entendo o que acontece nesse mundo, alguém pode me explicar em minha linguagem e me acolher com olhar fenomenológico, enxergando o que se passa comigo sem usar seus conceitos e preconceitos, apenas entendendo de fato o que se passa comigo, assim serei certamente acolhido e respeitado em minha individualidade!”  

Edjane M.R.Bittencourt de Araújo

Escrito por Dra Luciana Herrero Ver todos os posts deste autor →

Esclarecimentos: 1- Esse blog não substitui as consultas de pediatria ou consultas médicas em geral. Tem como objetivo promover educação em saúde, favorecer o vínculo familiar e o estímulo a amamentação. 2- Dra. Luciana Herrero, apesar de possuir a formação em pediatria, não realiza atendimentos pediátricos. Trocou a clínica pela educação. Atua somente como educadora familiar, escritora e coordenadora da Aninhare (www.aninhare.com.br).

There are 2 comments for this article
  1. Diana Almeida at 16:35

    Adorei e concordo com tudo que foi escrito, sem tirar uma vírgula!

    Ps: Usei parte do texto em uma postagem no meu blog, caso queiram posso apagar.

  2. Gabriela Berkenbrock at 0:02

    Concordo em tudo também, nunca dei chupeta pro meu filho (hoje com 3 anos)..
    E não vou dar também pra minha filha que esta pra nascer!
    Muitos acham que só porque é bonitinho, obriga o bebê a usar.
    Ótimo texto 😀