Evitando a chegada antes do tempo

Evitando a chegada antes do tempo

A chegada do bebê é um desafio – mesmo para os casais mais preparados. Imagine, então, o quanto é desafiador o nascimento de um bebê prematuro.

Bebê prematuro é o bebê que nasce antes da 37ª semana de gestação. Normalmente, ele nasce com pouco peso e precisa de algum tipo de apoio para sobreviver. Quase sempre precisa ficar internado até que todos os seus órgãos internos acabem de se desenvolver.

Então, passado o primeiro susto, vem um outro problema. Não há como expressar com clareza o tamanho da tristeza da mãe ao receber a alta hospitalar, tendo que deixar para traz seu bebê recém-nascido. É como se apenas seu corpo saísse do hospital e sua alma continuasse lá. Infelizmente, não são poucas as mulheres que sofrem, silenciosamente, esta experiência. Muitas delas chegando a perder seu amado bebê.

Uma pesquisa feita em 2012 colocou o Brasil no ranking de países com maior número de partos prematuros. Estamos em 10° lugar no mundo.

Dos 15 milhões de partos prematuros que acontecem no planeta, quase 280 mil são brasileiros. Um total de 10% de todos os nascimentos. Pode até parecer um número pequeno, mas que traz consequências imensas. O nascimento prematuro é a segunda maior causa de morte de crianças brasileiras abaixo de 5 anos (a pneumonia está em primeiro lugar). Além disso, há também o risco de sequelas físicas, neurológicas e psíquicas que podem atrapalhar a vida da criança e da família.

Então, vamos nos informar. As principais causas de parto prematuro são:

  • Infecções não tratadas
  • Gestação múltipla
  • Gravidez na adolescência ou gestação tardia (após os 35 anos)
  • Contato com raio x, poluição e venenos

Por isso, nada melhor do que encarar a gestação como um momento especial e tomar todos os cuidados:

  • Realizar acompanhamento pré-natal adequado
  • Buscar uma boa saúde bucal, prevenindo infecções gengivais
  • Alimentar-se adequadamente
  • Realizar exercícios físicos com moderação, especialmente adaptados para a gestação (como yoga)
  • Respeitar-se
  • Desacelerar-se
  • Compartilhar experiências, emoções e sentimentos (grupos de gestantes são ótimos)

Vivenciar a gestação com tranquilidade, bom senso e alegria é o melhor a fazer por você e por seu bebê.

 

 

 

Escrito por Dra Luciana Herrero Ver todos os posts deste autor →

Esclarecimentos: 1- Esse blog não substitui as consultas de pediatria ou consultas médicas em geral. Tem como objetivo promover educação em saúde, favorecer o vínculo familiar e o estímulo a amamentação. 2- Dra. Luciana Herrero, apesar de possuir a formação em pediatria, não realiza atendimentos pediátricos. Trocou a clínica pela educação. Atua somente como educadora familiar, escritora e coordenadora da Aninhare (www.aninhare.com.br).