Chá de Bênçãos!

Chá de Bênçãos!

Quero compartilhar com vocês um assunto que me chamou a atenção por ser relativamente simples, mas repleto de significados e benefícios. É o chá de bênçãos, um tipo de evento ainda pouco difundido entre a nossa cultura, infelizmente.

No passado, os nativos americanos tinham um cuidado bastante peculiar e especial com as grávidas. Antes da futura mamãe dar à luz, eles se reuniam em torno da mulher para dar forças para ela, principalmente, para a hora do parto. Era como um chá de bebê, só que com muito respeito à natureza, ao espírito, à vida animal e vegetal. Para eles, essa reverência simbolizava uma transição sagrada. O que de fato é, não é mesmo?

Hoje, é comum vermos os famosos “chás de bebês”. Um dia em que a grávida aproveita para reunir familiares e amigas, confraternizar, experimentar alguns quitutes e muitas brincadeiras. No fim, ainda ganha muitos mimos, fraldas descartáveis e presentinhos para o futuro bebê. Nada de errado nisso. Mas já tem gente juntando as duas experiências.

O “chá de bênçãos” está sendo atualizado e apresentado como um encontro de amigas para compartilhar mensagens e energias positivas para a grávida! Mas ao contrário do que acontece no chá de bebê, quando as atenções, geralmente, se concentram no futuro ser, o “chá de bênçãos” é feito especialmente para a gestante. Então, a nova mamãe pode receber Reiki (tratamento que utiliza uma técnica de imposição das mãos e que atua com resultados concretos na ansiedade, stress, depressão, insônia, medo e insegurança, assim como nos órgãos, tecidos e sistemas), massagens relaxantes, escalda pés, meditação… Enfim, as amigas e madrinhas planejam uma tarde especial com tudo o que a nova mamãe gosta ou precisa neste momento!

O objetivo não é ganhar presentes, mas promover um momento de descontração e relaxamento com a família e com as amigas! Uma dica é que cada amiga leve um prato de comida e uma boa dose de amor para passar uma tarde gostosa, repleta de muito afeto e carinho. E as convidadas também podem participar do escalda pés, dos rituais e brincadeiras. E quem quiser também pode levar os mimos para o bebê, por que não?

 

Escrito por Dra Luciana Herrero Ver todos os posts deste autor →

Esclarecimentos: 1- Esse blog não substitui as consultas de pediatria ou consultas médicas em geral. Tem como objetivo promover educação em saúde, favorecer o vínculo familiar e o estímulo a amamentação. 2- Dra. Luciana Herrero, apesar de possuir a formação em pediatria, não realiza atendimentos pediátricos. Trocou a clínica pela educação. Atua somente como educadora familiar, escritora e coordenadora da Aninhare (www.aninhare.com.br).