Dúvidas na hora da papinha?

Dúvidas na hora da papinha?

 

Qual a melhor hora de trocar o leite materno pelas papinhas? Tem alguma idade?

Diferentemente do que se acreditava antigamente, onde pediatras e médicos em geral realização o desmame e iniciavam a comida ao redor do 3° ao 4° mês, a ciência vem cada vez mais comprovando a importância da amamentação continuada até 2 anos, e da introdução da alimentar a partir do 6° mês de vida, pois é nesta etapa que a criança já esta pronta para alimentar-se, pois o organismo já possui  maior maturidade intestinal, melhores reflexos necessários para a deglutição, maior capacidade de sentar-se. Introdução precoce de alimentos ou sucos pode levar a maiores taxas de doenças, como diarreia.

 

Deve trocar de uma vez ou aos poucos, quanto tempo de transição, quantas vezes dar o leite e a papinha até que o bebê fique apenas com a papinha?

A alimentação deve ser introduzida aos poucos, sendo que nos primeiros meses o bebê necessita receber alimentos frescos e naturais feitos especialmente para eles, as papinhas. Os alimentos são apresentados gradualmente aos bebês, oferecendo-se sempre um alimento novo de cada vez, para avaliar possíveis reações.  Os bebês que amamentam devem comer pelo menos 3 papinhas por dia (almoço, lanche e jantar), recomenda-se que  mamem no peito nos outros horários, longe da refeição. As crianças que não mamam devem receber 5 refeições por dia (desjejum, lanche da manhã, almoço,  lanche da tarde e jantar). A mamadeira de formula pode ser oferecida, mas evita-se mais do que 3 mamadeiras/dia. Um cuidado essencial: não se deve oferecer nenhum alimento lácteo (mamadeira ou peito) 2 horas antes ou 1 hora após as refeições, a fim de preservar o apetite dos baixinhos e garantir a absorção de ferro, elemento essencial no organismo.

 

Quais os tipos de papinha naturais mais indicadas? Quais alimentos o bebê deve comer e quais ele deve evitar?

As papinhas mais indicadas são as caseiras, feitas na hora, e se possível com cozimento dos legumes e verduras a vapor. Não se recomenda misturar todos os alimentos juntos, pois é importante para despertar o paladar da criança que ela saboreei cada alimento separadamente. As papinhas do almoço e do jantar devem conter pelo menos 1 tipo de alimento de cada grupo (proteínas, carboidrato, legumes e verduras), buscando sempre um prato variado e colorido. As papinhas oferecidas no desjejum e nos lanches devem conter frutas.  Bebês devem evitar alguns alimentos tanto pelo risco de alergia e doenças, como pela importância de estimular hábitos saudáveis. Até o 9° mês de vida, não se recomenda oferecer peixe, clara de ovo e carne de porco. Até o 1° ano de vida, não se recomenda o uso de mel. Até o 2° ano, o ideal é fugir do açúcar, assim como dos doces, frituras, refrigerantes, e diversas outras porcarias deliciosas que rodeiam nossas mesas.

Suco ou fruta?

Os sucos devem ser oferecidos com cautela, por sua baixa concentração de vitamina, fibras e calorias, quando comparado às frutas e legumes inteiros.  Dê preferencia aos sucos que não necessitem ser adocicados, como os de laranja, tangerina, uva e outros. E ofereça-os, especialmente, logo após as refeições (almoço e jantar), pois o consumo de vitamina C junto ao consumo de proteína auxilia na absorção de ferro dos alimentos. Fuja das mamadeiras de sucos entre as refeições, e prefira sempre a fruta ao suco, a saúde de seu bebê agradece.

 

 

Qual deve ser a consistência das papinhas? 

A textura da papa deve ser sempre similar a de um purê, nem muito rala, nem muito firme. Desta forma garante-se uma boa concentração calórica. Para conseguir a consistência adequada orienta-se que os alimentos sejam amassados no garfo. Fuja do liquidificador, mixer ou da peneira. Para saber se a consistência é adequada faça o texte da colher:  coloque a papa em uma colher e vire de cabeça para baixo, se a comida escorrer é por que esta muito rala, ou seja, longe da consistência ideal para garantir uma boa nutrição para seu bebê.

 

E as papinhas prontas qual a recomendação?

As papinhas prontas podem ser utilizadas, e muitas vezes facilitam a vida da família em viagens, festas e passeios. Contudo, estas papinhas tem inúmeras desvantagens em relação a papa caseira, e por isto, não deve ser usada na rotina alimentar do bebê se desejamos iniciar bons hábitos alimentares.  Caso seja necessário uma papa pronta, prefira as papas orgânicas, congeladas e com alimentos apresentados separadamente.

Qual a temperatura ideal?

A temperatura ideal das papinhas é morninha, com um pouco mais de temperatura que o ambiente. Deve-se lembrar que a pele da boca do bebê é sensível, e o que parece bom para um adultos, as vezes, pode ser muito quente para o bebê. Caso a comida esteja muito aquecida, balance uma tampa plástica sobre a mesma e espere um pouco mais, nunca sopre, evite contaminações.

Quando ele deve começar a tentar comer sozinho?

O cuidador deve auxiliar na alimentação da criança até o 3° ou 4° ano de vida. Mas é fundamental, desde o primeiro mês de alimentação que o bebê seja estimulado a participar ativamente de sua refeição. Dê a ele uma colher para tentar comer, também. E permita que ele estimule todos os sentidos na hora da papinha. A estimulação da visão, tato e olfato é essencial para a aquisição do paladar. Mande a neura embora, coloque uma toalha plástica sob a mesa, uma roupa velhinha ou um babador gigante no bebê e boa refeição. Lembre-se uma refeição alegre, saborosa e sem pressa deixa marcas positivas para toda a vida da criança.

E se ele não quiser, pois prefere o leite, qual a melhor forma de fazer ele comer?

A melhor forma de prevenir a falta de apetite, ou apetite seletivo é uma adequada introdução alimentar. Fazer o momento da refeição um momento de prazer e de encontro familiar são também fatores essencial para uma vida alimentar mais saudável. Após o 6° mês de vida, o leite materno ou a mamadeira, em hipótese alguma deve substituir uma refeição, ou reduzir o apetite. Por isto é fundamental, respeitar os intervalos de 2 horas sem mamar antes do almoço e jantar.

Como deve ser levada a papinha em passeios ou viagens?

O transporte de papinhas deve ser realizado com cautela, pelo risco de contaminação bacteriana. As papinhas caseiras podem ser transportadas congeladas, em recipientes lacrados, e em bolsas próprias, e não mais do que por poucas horas. Não se recomenda recongelar as mesmas em caso de desgelo. As papinhas de supermercado, podem ser levadas de forma mais fácil, desde que estejam lacradas. Após abertas, estas devem ser guarda-las na geladeiras, de preferência na prateleira.

Escrito por Dra Luciana Herrero Ver todos os posts deste autor →

Esclarecimentos: 1- Esse blog não substitui as consultas de pediatria ou consultas médicas em geral. Tem como objetivo promover educação em saúde, favorecer o vínculo familiar e o estímulo a amamentação. 2- Dra. Luciana Herrero, apesar de possuir a formação em pediatria, não realiza atendimentos pediátricos. Trocou a clínica pela educação. Atua somente como educadora familiar, escritora e coordenadora da Aninhare (www.aninhare.com.br).

There are 3 comments for this article
  1. Florence at 9:13

    Boa tarde Dra Luciana! Posso te fazer uma pergunta que se refere ao assunto deste post? Meu bebê tem 11 meses e ainda o amamento! Mas agora me parece que, por causa do nascimentos dos dentinhos, ele não está querendo mamar. Parece que incomoda na hora de sugar e de uns dias pra cá quase não mamou! Mas ele não aceita mamadeira! E não aceita o leite em um copo… Como fazer com um bebê desta idade que não toma nenhum leite? Obrigada!!

  2. Andrea at 14:58

    Olá Dra. Luciana,

    Gostaria de parabenizá-la pelo site. Cheguei ao seu site pois estava pesquisando na internet sobre orientações às pessoas que pretendem engravidar. Esse é o meu caso. Atualmente faço dieta e pesquiso bastante sobre gestação e a vida após a chegada do bebê, pois eu e meu marido pretendemos engravidar no final do ano que vem e gostaríamos que fosse tudo bem planejado, emocionalmente, financeiramente, e com relação à nossa saúde e à saúde do bebê também.

    E foi pesquisando sobre isso que cheguei ao seu site, no post sobre “dicas para quem se prepara para engravidar”. Adorei as dicas e agora estou navegando em seu site, lendo todos os outros posts e me enchendo de informações.

    Parabéns, o site é muito claro e enriquecedor. Só estranhei uma coisa, seu último post foi em junho de 2012, mas já estamos em dezembro. Será que vc abandonou o site ou pretende continuar com as postagens? Espero que continue, pois com certeza irei acompanhá-la.

    Muito obrigada pelas informações.

    Um abraço,
    Andrea

  3. draluciana at 8:22

    Obrigada pelas palavras de incentivo.
    Estarei reencontrando o valioso tempo em minha vida para compartilhar com vocês as bençaos do conhecimento, que recebo incessantemente!
    Carinho imenso,
    Dra. Lu