MICROCEFALIA – Dúvidas que rondam as gestantes

MICROCEFALIA – Dúvidas que rondam as gestantes

Você pode estar se perguntando se é mesmo real esse perigo alardeado pelos meios de comunicação e se há algo que se possa fazer para evitar essa doença.

E a resposta é sim!

Em primeiro lugar, vamos entender o problema.

O Brasil está vivendo uma epidemia de infecção por Zika Vírus. A consequência mais grave acontece quando a infecção acomete gestantes (especialmente no primeiro trimestre de gravidez), pois as sequelas neurológicas no bebê são gravíssimas e irreversíveis: a microcefalia neonatal e a Síndrome de Guillain-Barré (doença autoimune que traz graves problemas neurológicos).

Microcefalia é a malformação congênita em que o cérebro do bebê não se desenvolve como deveria.  Os bebês nascem com a cabeça menor do que o normal, o que em 90% dos casos leva a retardo mental.

Já são 1248 casos registrados (segundo o último boletim divulgado), em 311 cidades de 13 Estados e mais o Distrito Federal. A região Nordeste é a mais afetada.  Para se ter uma ideia do tamanho da epidemia, em todo o ano de 2014 o Brasil tinha registrados 147 casos.

 

Como é transmitido

O Zika é transmitido através de picada de um mosquito contaminado. O mesmo mosquito que transmite a dengue, o Aedes Aegypti.

Os pesquisadores estão estudando se há outras formas de contaminação, como o sangue, sêmen e leite humano. Mas, até agora não há nada confirmado.

 

Os sintomas do Zika Vírus no adulto

Ele causa sintomas parecidos com a dengue: manchas vermelhas na pele, febre intermitente, conjuntivite, dores nas articulações, músculos e cabeça. Mas em alguns casos é assintomático.

 

Como prevenir

Basicamente, é importante combater o mosquito Aedes Aegypti e prevenir suas picadas. Lembre-se: ele tem hábitos diurnos e ataca principalmente no início da manhã e no final da tarde. As extremidades baixas do nosso corpo são as preferidas do Aedes. Durante toda a gestação, tome estes cuidados:

– Usar repelente de insetos (alguns são liberados para gestantes, como o de cravo e citronela)

– Fechar as portas e janelas de casa no final da tarde

– Instalar telas mosquiteiras

– Eliminar todo e qualquer criadouro do mosquito transmissor (não deixe água parada)

– Vestir calças e blusas de mangas compridas que cubram a pele

 

Outros cuidados

– Quem está grávida ou pretende engravidar deve evitar viajar para as áreas mais afetadas, como a região nordeste do Brasil. Segundo a OMS, também foram confirmados casos de Zika em outros oito países das Américas: Chile – na ilha de Páscoa -, Colômbia, El Salvador, Guatemala, México, Paraguai, Suriname e Venezuela. Por isso, evite passar férias também nesses países.

– Usar camisinha durante a gestação (até sabermos mais sobre essa possível contaminação pelo sêmen)

– Realizar o pré-natal adequadamente, fazendo todos os exames complementares

– Não usar álcool e drogas

– Evitar contato com pessoas doentes

 

Escrito por Dra Luciana Herrero Ver todos os posts deste autor →

Esclarecimentos: 1- Esse blog não substitui as consultas de pediatria ou consultas médicas em geral. Tem como objetivo promover educação em saúde, favorecer o vínculo familiar e o estímulo a amamentação. 2- Dra. Luciana Herrero, apesar de possuir a formação em pediatria, não realiza atendimentos pediátricos. Trocou a clínica pela educação. Atua somente como educadora familiar, escritora e coordenadora da Aninhare (www.aninhare.com.br).