O minuto de ouro!

O minuto de ouro!

 

Os primeiros 60 segundos de vida do bebê são fundamentais, pois fazem toda a diferença na qualidade de vida do novo ser. A própria Sociedade Brasileira de Pediatria reconheceu essa importância quando lançou a campanha “Alerta: Minuto de Ouro”, com o objetivo de chamar atenção para esse momento único. Aliás, toda a primeira hora do recém-nascido é considerada sagrada, mas hoje vamos nos concentrar no minuto de ouro.

É fundamental para o bebê respirar bem ao nascer. No entanto, o que pouca gente sabe é que, para isso, um em cada dez recém-nascidos precisa de ajuda, que deve ser rápida e realizada no primeiro minuto de vida, por um profissional qualificado. No Brasil, todos os anos, cerca de 300 mil recém-nascidos necessitam de auxílio para que o pulmão se encha de ar e estimule o coração e toda a circulação sanguínea, inclusive a que se dirige ao cérebro. É nesses primeiros segundos que o organismo do bebê se adapta para funcionar bem sem a placenta, fazendo a transição do útero para o mundo externo. Dentre os prematuros, calcula-se que seis em cada dez precisem de ajuda para começarem a respirar.

Durante a gravidez, com a ajuda dos exames de pré-natal, algumas vezes, é possível saber que há algum risco de problemas. Mas em cerca de 10% dos casos, tudo transcorreu bem na gestação e, mesmo assim, a dificuldade se manifesta na hora do nascimento. Não há como prever com 100% de certeza!

Sabendo disso, as famílias devem lutar para que seu bebê receba o devido atendimento neste minuto tão importante de sua vida. Não é frescura: é segurança. Os cuidados oferecidos na sala de parto podem representar a diferença entre uma criança saudável e uma criança com déficit de atenção ou paralisia cerebral, por falta de oxigenação adequada.

Então, gestantes, informem-se bem sobre a equipe que estará sala de parto. Seja numa maternidade pública ou em uma maternidade particular de sua preferência, deve haver um profissional específico e especializado para recepcionar seu bebê. Cheque se seu plano de saúde oferece a possibilidade de escolher um profissional ou você terá que ser acompanhada pelo plantonista. É um direito garantido por lei que todo bebê seja assistido na sala de parto, ao nascer. Por isso, todas as famílias devem lutar por isto! E se você puder escolher, prefira sempre um pediatra com especialização em neonatologia ou um pediatra com certificado atualizado de reanimação neonatal pela Sociedade Brasileira de Pediatria.

 

 

 

 

Escrito por Dra Luciana Herrero Ver todos os posts deste autor →

Esclarecimentos: 1- Esse blog não substitui as consultas de pediatria ou consultas médicas em geral. Tem como objetivo promover educação em saúde, favorecer o vínculo familiar e o estímulo a amamentação. 2- Dra. Luciana Herrero, apesar de possuir a formação em pediatria, não realiza atendimentos pediátricos. Trocou a clínica pela educação. Atua somente como educadora familiar, escritora e coordenadora da Aninhare (www.aninhare.com.br).