Viva o aleitamento materno!

Viva o aleitamento materno!

Trago uma notícia que me deixou extremamente feliz!
O vereador Aurélio Nomura (PSDB) propôs um projeto de lei que prevê multa para o estabelecimento que proibir ou constranger uma mãe durante a amamentação. Isso se deu após uma denúncia de um caso de uma turismóloga, Geovana Cleres, 35, que foi proibida de amamentar no Sesc Belenzinho, em São Paulo. O fato gerou uma grande repercussão nas redes sociais e um grupo de mães realizou um mamaço (amamentação coletiva) no local no dia 17 de novembro de 2013.
Vale ressaltar que este projeto ainda vai para a sanção do prefeito Fernando Haddad (PT), e que a multa prevista é de R$ 500 para quem tentar barrar uma mulher de amamentar a criança em público. Caso se repita, o valor dobra.
Outra boa notícia é que o Sesc, onde aconteceu o episódio, se comprometeu a orientar melhor os seus funcionários após o ocorrido.
Eu sempre destaquei as vantagens e os benefícios para a mãe para o bebê, como também a importância do aleitamento materno. Esta lei, com certeza, virá para apoiar ainda mais as mamães e futuras mamães que querem apenas oferecer o que há de melhor para seus filhos: o leite materno!
Faço minhas, as palavras da vereadora Patrícia Bezerra, que disse: “O aleitamento materno é fundamental para o desenvolvimento saudável de uma criança. Inclusive é recomendação da Organização Mundial da Saúde a chamada amamentação de livre demanda, que estabelece a amamentação sempre que o bebê quiser. Crianças que não são amamentadas dessa forma podem apresentar deficiências nutricionais e de crescimento.”
Portanto, meninas, façam valer os seus direitos, viu?! Se estiverem em ambientes públicos e privados e forem impedidas de amamentar ou forem constrangidas pelo mesmo motivo, denunciem, pois eles poderão ser multados.
E viva o aleitamento materno!

Escrito por Dra Luciana Herrero Ver todos os posts deste autor →

Esclarecimentos: 1- Esse blog não substitui as consultas de pediatria ou consultas médicas em geral. Tem como objetivo promover educação em saúde, favorecer o vínculo familiar e o estímulo a amamentação. 2- Dra. Luciana Herrero, apesar de possuir a formação em pediatria, não realiza atendimentos pediátricos. Trocou a clínica pela educação. Atua somente como educadora familiar, escritora e coordenadora da Aninhare (www.aninhare.com.br).